Publicidade

publicidade
Esportes & Lazer

'ESPORTE: A PODEROSA FERRAMENTA DE INCLUSÃO SOCIAL E ECONÔMICA'

'Numa visão mais ampla, o esporte materializa-se como uma verdadeira força de inclusão, tecendo uma rede de benefícios que alcança áreas fundamentais da sociedade'

Por Renato de Paula, 25/01/2024


Foto: Divulgação

O desporto vai além de proporcionar a inclusão social, atuando como uma fonte de empoderamento e resiliência para os participantes. Ao se envolverem em atividades físicas, as pessoas, independentemente de suas circunstâncias, encontram uma plataforma para desenvolver habilidades essenciais, como trabalho em equipe, liderança e perseverança.

Essas habilidades transcendem o campo atlético, permeando as esferas profissional e pessoal. Ao superar desafios físicos e mentais durante as práticas esportivas, os indivíduos fortalecem não apenas seus corpos, mas também suas mentes, tornando-se mais aptos a enfrentar os desafios da vida cotidiana com determinação e coragem.

A prática esportiva, assim, não apenas cria inclusão social, mas também fornece as ferramentas necessárias para que as pessoas construam vidas mais resilientes e significativas.

Ao focarmos no impacto direto do esporte na saúde, percebemos que sua influência vai além da esfera física. Para aqueles com deficiências, o desporto oferece não apenas a oportunidade de fortalecer o corpo, mas também de superar limitações preconcebidas. A prática esportiva contribui para o bem-estar mental e emocional, promovendo autoconfiança e resiliência.

Além disso, para a sociedade em geral, a atividade física reduz a incidência de doenças relacionadas à inatividade, aliviando a pressão sobre os sistemas de saúde e promovendo um estilo de vida ativo.

Ao explorarmos a interseção entre essas duas esferas, é imprescindível ressaltar a dimensão terapêutica que a prática esportiva proporciona, especialmente no que concerne à saúde mental. Para aqueles que enfrentam desafios psicológicos, o envolvimento em atividades físicas oferece uma válvula de escape única. A endorfina liberada durante o exercício não apenas melhora o humor, mas também atua como um antídoto natural contra o estresse e a ansiedade. A modalidade esportiva, portanto, emerge como uma ferramenta não farmacológica e altamente acessível para promover a saúde mental, proporcionando um ambiente onde os indivíduos podem desafiar não apenas seus corpos, mas também os limites de suas preocupações mentais. Essa abordagem integral reforça a ideia de que o desporto não é apenas um meio de prevenir doenças físicas, mas também desempenha um papel crucial na promoção do equilíbrio emocional e bem-estar psicológico.

O recente mapeamento global de transtornos mentais pela OMS destaca que o Brasil lidera em prevalência de transtornos de ansiedade, afetando cerca de 9,3% da população. Este dado alarmante sublinha a urgência de compreender a relação entre exercício físico e ansiedade, considerando que os transtornos ansiosos, frequentemente iniciados na juventude, impactam aproximadamente 10% da população mundial. A disparidade de duas vezes mais casos em mulheres do que em homens reforça a necessidade de explorar estratégias eficazes para o tratamento e prevenção. Embora o exercício seja apontado como promissor, as nuances sobre a influência da dose, intensidade e nível de aptidão física permanecem pouco exploradas.

Estes achados, publicados na revista científica Frontiers in Psychiatry, instigam uma reflexão crucial sobre como a atividade física pode ser moldada para mitigar o risco de transtornos de ansiedade, oferecendo perspectivas fundamentais para abordagens mais eficazes na promoção da saúde mental.

A riqueza do esporte reside não apenas nas atividades físicas, mas também na capacidade de construir laços sociais duradouros. Ao participar de equipes esportivas ou eventos, as pessoas encontram um terreno comum que transcende diferenças sociais e culturais. Essa integração social é crucial para a formação de uma sociedade coesa, onde a diversidade é celebrada e a compreensão mútua é fortalecida. O desporto não apenas quebra barreiras, mas constrói pontes que conectam pessoas de todas as esferas da vida.

No cerne do esporte, reside uma força transcendental que vai além da mera construção de laços sociais, estendendo-se para a criação de uma cultura de solidariedade e união. Quando indivíduos se unem em torno de um objetivo comum no campo esportivo, seja como parte de uma equipe ou como espectadores entusiásticos, testemunhamos a formação de comunidades coesas. Essas comunidades, muitas vezes compostas por pessoas de origens diversas, encontram na paixão pelo desporto um denominador comum que dissipa preconceitos e promove a colaboração. Essa dinâmica não apenas quebra as barreiras sociais e culturais, mas também gera um sentimento de pertencimento que é essencial para a construção de uma sociedade harmoniosa.

A prática esportiva para pessoas com deficiência não é apenas uma atividade física, mas uma verdadeira plataforma de empoderamento e visibilidade. Ao participarem ativamente de práticas recreativas, esses indivíduos transcendem estigmas e limitações preconcebidas, redefinindo a letra "P" de problema para protagonista em suas vidas. O paradesporto se revela como um espaço onde suas habilidades são destacadas, e não suas limitações. A oportunidade de competir e alcançar realizações esportivas não apenas fortalece seus corpos, mas também eleva suas mentes, promovendo a autoconfiança e a resiliência.

Ao desempenharem papéis de destaque no mundo esportivo, esses indivíduos inspiram não apenas suas comunidades imediatas, mas também aqueles que observam de fora. O esporte, assim, não apenas proporciona um espaço inclusivo para pessoas com deficiência, mas também se torna uma ferramenta valiosa para mudar percepções e desencadear uma transformação cultural em relação à diversidade e inclusão.

Numa visão mais ampla, o esporte materializa-se como uma verdadeira força de inclusão, tecendo uma rede de benefícios que alcança áreas fundamentais da sociedade.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro demonstra um compromisso firme em promover uma Cidade Maravilhosa mais inclusiva, reconhecendo no desporto e paradesporto uma ferramenta vital nessa jornada. Ao investir em políticas e programas que fomentem a prática esportiva, o Rio não apenas enriquece a qualidade de vida dos cidadãos, mas também fortalece os alicerces de uma sociedade unida, equitativa e economicamente vibrante. Este comprometimento não apenas contribui para a construção de uma identidade estadual mais coesa, mas também envia uma mensagem inspiradora para todo o país, demonstrando que o esporte pode ser uma ferramenta poderosa para criar uma nação mais unida, resiliente e vibrante.
__

Renato de Paula é presidente da Superintendência de Desportos do Rio de Janeiro (Suderj), Fisioterapeuta e Político.


Rio de JaneiroEsportesSocialEconomiaPolítica

Publicidade

publicidade
doctv

Jornalismo a serviço do desenvolvimento e da democracia.

Fundado em 26 de agosto de 2021

Editor Executivo Responsável: Tomaz de Castro | MTb: 0040666/RJ

CNPJ: 19.978.152/0001-91

Internet: Foco Comunicação

Design: Weblite Brasil

Projeto: tfc8 Consultoria

instagram
facebook
twitter
youtube
vimeo